Pesquisas Finalizadas

2015 – 2018

PESQUISA: RECURSOS PEDAGÓGICOS: NOVOS FORMATOS, NOVOS DESAFIOS

Essa pesquisa chapéu tem como principal objetivo conhecer, avaliar e repensar novos formatos de recursos pedagógicos, em especial para o ensino de línguas estrangeiras, mas não necessariamente limitando-se a esse, considerando os novos desafios trazidos pela transformação natural da educação e dos recursos pedagógicos que nela se constituem.

Objetivos Específicos:
– Conhecer as práticas de uso de recursos pedagógicos em sala de aula através de relatos de experiências de atividades desenvolvidas em âmbito escolar.
– Analisar em que medida essas práticas trazem recursos inovadores e usam-se de recursos pedagógicos novos

Participantes:
Profa. Dra. Juliana Cristina Faggion Bergmann (MEN/CED) – Coordenadora
Profa. Dra. Janete Elenice Jorge (PMF)
Ms. Marcelo D’Aquino Rosas (UNICAMP)

 

DISSERTAÇÕES:

2018

Título: O Designer Instrucional e o Designer Educacional no Brasil: identidade e prática em uma visão educacional
Mestranda: Cíntia Costa Macedo
Orientadora: Juliana Cristina Faggion Bergmann
Programa: Pós-Graduação em Educação/UFSC
Resumo:
Na modalidade da Educação a Distância atuam diferentes perfis de profissionais e especialistas para o desenvolvimento dos cursos e materiais didáticos. O designer instrucional e o designer educacional são alguns desses especialistas e sua atuação objetiva o tratamento desses conteúdos didáticos, na linguagem e contexto das especificidades da virtualidade, para serem compreendidos e assimilados. No entanto, observa-se que esse profissional está em busca de sua identidade. Nota-se que nos distintos campos profissionais existem tanto o designer instrucional como o designer educacional sem uma definição clara acerca de seu perfil e atividades desempenhadas. Diante disso, esta pesquisa tem o intuito de investigar, a partir da história, da linguística e das teorias que circundam a prática desse profissional, suas características conceituais e práticas, a fim de identificar ao final do estudo como os campos profissionais de desenvolvimento de projetos de educação a distância compreendem esse profissional. Para atender a esse objetivo, a pesquisa classifica-se como científica etnográfica, trabalhada segundo uma abordagem exploratório-descritiva. Para a coleta e a análise de dados, propõe-se a técnica de métodos mistos, empregando-se práticas de pesquisa quantitativa e qualitativa.
Palavras-chave: designer instrucional, designer educacional, Educação a Distância.

 

Título: Tecnologias digitais na cultura escolar: um estudo de caso em escolas de Santa Catarina após a política de inclusão digital UCA
Mestranda: Tainá Revelles Vital
Orientadora: Juliana Cristina Faggion Bergmann
Programa: Pós-Graduação em Educação/UFSC
Resumo:
A sociedade de rede e a necessidade de novas instituições que exerçam o controle humano das tecnologias nos fazem refletir a respeito da importância da emancipação do sujeito crítico, capaz de dominar as Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) e se apropriar delas, visando à transformação social. Esse empoderamento precisa existir também aos excluídos digitais, ou sociais, para que eles possam fazer parte das relações construídas em rede não apenas enquanto consumidor de informação, mas também como produtor de conhecimento. O lugar em que essa mudança de concepção de conhecimento deve ocorrer é na escola, com o financiamento de políticas públicas que garantam infraestrutura e formação – aos docentes e alunos – relativa às possibilidades de exploração e uso dessa tecnologia enquanto ferramenta pedagógica, objeto de estudo e meio de expressão para transformação do contexto dessa escola. Essa foi a perspectiva crítica que nessa pesquisa sintetizamos no termo formação apropriativa. Diante disso, foi realizada uma investigação sobre a presença das tecnologias digitais de informação e comunicação na cultura escolar sob a seguinte hipótese: se a entrada das TDIC nas escolas não vem associada com uma formação apropriativa, isso é – para o uso das TDIC enquanto ferramenta, meio de expressão e objeto de estudo – então ela poderia não se integrar à cultura escolar, perdendo-se na obsolescência do equipamento. O ponto de partida foi um estudo de caso das escolas que receberam o Projeto Um Computador por Aluno no Estado de Santa Catarina (Projeto UCA/SC), uma vez que essas escolas receberam dispositivos para todos os alunos com o intuito de serem usados em um contexto 1:1 e também formação continuada para os professores. No estado de Santa Catarina, essa formação teve dois anos, um a mais do que o previsto pelo Projeto UCA. O desenvolvimento de um segundo ciclo surgiu da demanda dos docentes das escolas participantes junto à equipe de formação, que elaborou esse novo conteúdo. Em SC, 12 escolas participaram do Projeto, sendo que 10 delas participaram de toda a formação. Dessas 10 escolas, oito fizeram parte desta pesquisa. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com os gestores das escolas, uma vez que eles respondem tanto pela instituição, como também são a ponte de todos os membros que compõem a comunidade escolar. Através dos eixos ‘estrutura básica para as TDIC na escola’ e ‘formação apropriativa’, foi criado um panorama a respeito das TDIC na cultura escolar para avaliação da hipótese.
Palavras-chave: Políticas Públicas. UCA. Educação. laptop educacional. TDIC. Tecnologias digitais. Cultura escolar.

 

TítuloConvergências para o Diálogo Educativo: Transposição Didática e Atuais Recursos Pedagógicos, uma análise na Pedagogia Montessori
Mestranda: Ana Maria Bosse
Orientadora: Juliana Cristina Faggion Bergmann
Programa: Pós-Graduação em Educação/UFSC
Resumo:
O Sistema Montessori de Educação, fundamentado pela médica e educadora italiana, Maria Montessori (1870-1952), ocupou papel de destaque no contexto da Escola Nova, no início do século XX. Concebeu um novo paradigma de escola baseado na educação integral, nos princípios da liberdade, da autonomia, da individualidade e de educação centralizada na criança. Está alicerçado na autoeducação, na autodisciplina, e o ambiente preparado para atender as necessidades e possibilitar o desenvolvimento de cada aprendiz ocupa importante posição. Porém, destacamos que na lacuna deste tempo, dos primórdios do século XX às primeiras décadas do século XXI, constatamos inúmeras transformações culturais e sociais ocorridas em todo o planeta, em diferentes contextos, como o social, físico, político, econômico, científico ou tecnológico. Consequentemente, diante deste novo panorama social, de uma nova paisagem informacional e comunicacional, as dimensões educativas da sociedade se alteram e permeiam nossa vida nos mais distintos segmentos. Neste híbrido, a principal atividade dos seres humanos tem relação com a conquista, processamento, análise e a recriação da informação, assim novas e distintas estruturas de interações, de comunicação, de apropriação de conhecimentos, de desejos e necessidades são criadas a partir da relação com as tecnologias de informação e comunicação. Este cenário requer novas formas de gerenciar socialmente o conhecimento, de ensinar e aprender; e dentre os desafios da era digital, encontra-se também o de pensar uma nova racionalidade para a escola. Deste modo, ao considerar as potencialidades e a permanência do Sistema Montessori, esta dissertação averiguou as possibilidades de uma metodologia de ensino transcender temporalmente e renovar-se para a era digital sem perder a sua essência. Ancorados na pesquisa sobre os fundamentos do Sistema Montessori e os recursos pedagógicos – ao conceber que estes abrangem o todo que auxilia a aprendizagem e intermediam os processos que são intencionalmente organizados por professores dentro ou fora da escola, averiguamos os elementos que favorecem a prática educativa na era digital. Com este fim, revisitamos as ideias originais da educadora e da educação no seu tempo histórico e cultural e refletimos sobre os princípios que ainda se fazem atuais e presentes nas escolas e integram os elementos desta cultura da era digital que não estavam presentes na época da sua fundamentação. Este trabalho incluiu uma pesquisa qualitativa de estudo de bibliográfico e de análise de categorias. O aporte teórico parte das referências de autores da contemporaneidade como Coll & Monereo (2010), Martín-Barbero (2014), Pérez Gómez (2015), Santaella (2013) e Serres (2013); Röhrs (2010), Lillard (2017), entre outros contemplaram o Sistema Montessori.
Palavras-chave: Sistema Montessori. Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação. Competências. Recursos Pedagógicos. Prática Educacional.

TCC:

2017

Título:  Aplicaciones para el Aprendizaje de Lenguas Extranjeras: Propuesta de Adaptación de un Instrumento de Análisis
Orientanda: Gabriela Marçal Nunes
Orientadora: Juliana Cristina Faggion Bergmann
Programa: Bacharelado em Letras Espanhol/UFSC
Resumo:
El desarrollo de los dispositivos móviles y el avance tecnológico han traído inúmeros cambios, afectando directamente la vida de los individuos. De esa manera, cada vez más surgen aplicaciones con el objetivo de desarrollar inúmeras actividades, entre ellas, educativas, volviendo los aparatos y las aplicaciones recursos pedagógicos potencialmente importantes. Se han invertido mucho en estos recursos, y varias son las aplicaciones desarrolladas para el aprendizaje de idiomas. Aprender una lengua no es más desarrollar a penas la competencia lingüística, sino también, e principalmente, desarrollar la competencia comunicativa (HYMES, 1972). Pensando en esto, se hizo una adaptación de la Ficha de Análisis de Apps para niños de 0-8 años, de Crescenzi & Grané (2016) con el objetivo de crear un instrumento que pueda analizar el desarrollo de la competencia comunicativa en las Apps de lenguas extranjeras.
Palabras-clave: Análisis de Apps, Aplicaciones de LE, Aprendizajes Móviles.